Rapunzel

Havia um casal muito pobre que morava do lado de uma feiticeira. A mulher ficou grávida e desejou alguns rabanetes. O marido com muito esforço conseguiu alguns, porém estes não agradaram a esposa. Ela queria um tipo de rabanete que só havia na casa da feiticeira. O marido aflito, resolveu invadir o terreno da vizinha e pegar alguns para a mulher. Fez isto por duas noites, na terceira porém ele foi pego pela feiticeira que jurou pegar a criança para si quando nascesse. O marido temendo este destino levou sua mulher para bem longe mas, a feiticeira os seguiu. Para não fazer com que o casal fugisse de novo, esperou pacientemente os meses para então ter o seu prêmio. Dois meses depois que o bebê nasceu a feiticeira apareceu na casa do casal em forma de criança oferecendo alguns bolinhos “feitos pela sua mãe”. O casal comeu sem desconfiar que era a feiticeira e logo os dois estavam mortos no chão. A feiticeira, assumindo sua verdadeira forma pegou a criança e a levou para sua casa.

Rapunzel cresceu livremente e até brincava com outras crianças, a feiticeira ganhará um certo apreço pela menina e a tratava como sua filha. Um dia, num festival próximo a casa, Rapunzel brincava com outras crianças até que foi convidada pra dançar por um menino mais velho. Ela em sua inocência foi, mas o menino a derrubou numa fonte e todos os seus amigos se puseram a rir da menina. A feiticeira vendo aquilo levou Rapunzel para casa e prometeu a ela que jamais ninguém iria rir dela daquele jeito.

As duas foram para uma torre com janelas no topo e apenas uma porta oculta; lá a feiticeira foi ensinando tudo que sabia para a menina. A feiticeira fez um feitiço para que o cabelo de Rapunzel crescesse muito rápido e absurdamente forte, pois assim teria como entrar e sair da torre sem revelar a porta para possíveis viajantes que estivessem perdidos por ali. Com o tempo Rapunzel se tornou uma linda mulher e como presente de aniversário pode ir a um festival numa vila próxima.

Por causa do tempo que ficará longe, Rapunzel ficou realmente encantada com tudo e procurou se divertir com todas as guloseimas e música que havia. A alegria contagiava o lugar até Rapunzel encontrar o seu algoz da infância. Ele havia se tornado um belo homem, sempre cercado de mulheres, um ótimo caçador. Tinha uma fala mansa e muito sedutor e quando viu Rapunzel nem se quer lembrou da menina do antigo baile. Ele se aproximou e começou a jogar seu charme, Rapunzel com um certo medo saiu da festa e voltou para torre.

Em casa contou ocorrido para sua mãe que resolveu ajudar a filha a fazer uma vingança. Primeiro lhe deu uma poção que “abriria seus olhos”, depois falou em seu ouvido tudo que devia fazer e por último a lembrou diversas vezes do que ocorreu quando criança para que não se esquecesse do motivo.

No outro dia Rapunzel retornou ao vilarejo. Estava diferente, já não tinha mais o brilho nos olhos. Ao avistar o rapaz logo fez questão de chamar a sua atenção, quando ele se aproximou para tentar um galanteio ela correu. Desta vez porém, ele não iria deixar que ela escapasse novamente e a seguiu. Ela correu o mais rápido que pode até a torre e ao entrar pela porta secreta ele fez o mesmo. Chegando no alto da torre ele conseguiu pegar Rapunzel e quando percebeu que só estavam os dois naquele lugar tentou violentá-la. Ela por sua vez conseguiu se livrar dele e enrolou seus cabelo em seu pescoço e braços. Ele tentou se soltar mas não conseguiu e teve que ouvir as palavras da bela moça.

hottest-zombies-ever05– Um dia você me convidou para dançar…

– Eu nem te conheço sua louca!

– Eu era apenas uma criança… Eu confiei em você…

– Eu não sei do que você está falando!

– Eu fui dançar com você e você me jogou naquela fonte! Eu fui humilhada por todos, acha que foi fácil pra mim?

– Eu definitivamente não sei do que você está falando!

– Lógico que sabe! Vai dizer que não se lembra daquela menina burra que você jogou na água? Aquela menina burra que acreditou em você e você a humilhou na frente de todo?

– Eu não me… Sua louca! Você pegou o cara errado!

– Cara errado? Eu não me enganaria tão fácil!

– Se enganaria sim, eu sou o irmão gêmeo dele!

– Mas na festa de ontem…

– Ontem era eu, ele chegou hoje de uma caçada, sua louca, me solte!

Rapunzel percebendo seu erro pensou em soltar o rapaz mas sabia que ele poderia avisar o irmão e então sua vingança nunca seria feita. A bela dama resolveu então puxar mais a parte do cabelo que prendia o pescoço do rapaz até sufocá-lo completamente. Depois deixou o corpo sobre sua cama e voltou ao vilarejo.

Chegando lá viu o rapaz novamente. Era ligeiramente mais alto que o outro mas igualmente bonito. Ele não parecia se interessar muito pelas garotas dali mas ao ver Rapunzel ficou encantado. A seguiu pela floresta da mesma forma que seu irmão e quando chegou ao quarto viu seu irmão deitado.

– O que aconteceu aqui?

– Ele passou mal e eu o trouxe pra dentro…

– Mas ele está morto!

– Está? Oh, eu sinto muito…

– Como isso aconteceu? Quem é você?

Rapunzel enrolou seu cabelo no pescoço do rapaz e apertava lentamente enquanto falava:

– Eu sou aquela menina que você humilhou há alguns anos atrás. Eu sou aquela menina que você jogou na fonte fazendo com que todos me humilhassem. Eu sou a mulher que não via permitir que nem você e nem o seu querido irmão faça isso com ninguém!

Ele tentou se soltar mas era tarde demais, Rapunzel o sufocou até a morte e o deitou ao lado de seu irmão.

Quando a feiticeira chegou encontrou os corpos e Rapunzel inquieta andando de um lado para o outro. Ela ainda se sentia incompleta, foi então que a feiticeira lhe sugeriu que ela participasse do festival da colheita que ia haver, servindo deliciosas tortas paras as pessoas. Rapunzel riu debochada dizendo que não havia frutas suficientes para fazer as tortas. A feiticeira olhando para os corpos disse: “Frutas não, mas temos carne…”

Rapunzel fez as tortas com a carne dos irmãos e serviu no festival, as pessoas comiam e se lambuzavam pedindo mais sem ao menos imaginar de onde veio tal delícia. Ainda sentindo-se incompleta Rapunzel começou a atrair os homens para a sua torre fingindo estar presa e fazendo com que eles subissem pelas suas tranças. Uma fez no seu quarto eles eram mortos e transformados em deliciosas tortas que eram vendidas no centro do vilarejo.

Com esta “atividade” Rapunzel seguiu os anos com a ajuda da feiticeira que lhe deu outra poção para que ela ficasse linda e jovem para que desta forma ela sempre atraísse os homens.

 

/juhliana_lopes 15-03-2013

Anúncios

3 respostas em “Rapunzel

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s