Quem é o assassino? #6

RS010

– Nunca vai esquecer o lance das carteiras, não é? – Isaque disse, quase como um pedido de desculpas.

– Não, mas foi por causa disso que te contratei, então não precisa se preocupar, aliás, não andou pegando carteiras daqui, não é? – Adam perguntou com um sorriso sarcástico.

– Não senhor. Só quando estão do lado de fora, como me recomendou. Agora se me der licença…

– Claro, pode ir. Muito obrigado pelas informações. Se quiser, pode ficar o resto do dia de folga, você merece. – Disse Adam, que precisava de um tempo sozinho para analisar tudo aquilo.

– Se você acha, muito obrigado. – Disse Isaque saindo da sala.

Anne estava sentada com Manoela quando viu Isaque passar apressado. Ela normalmente não perdia tempo reparando em pessoas aleatórias, mas percebeu que ele tinha algo diferente. De qualquer forma preferiu não se envolver e ficou perdida nos seus pensamentos. Tão perdida que não percebeu a pergunta de Manoela.

– O que você acha? – Manoela esperava a resposta ansiosa.

– Desculpa, eu não prestei atenção. – Anne se concentrou nela.

– Sobre o Liam, Anne. Você acha que eu tenho chance?

– Sinceramente? Eu não sei Manu. Ele é sempre tão seguro de si, não sei se ele ficaria frágil por estar gostando de alguém. – Anne respondeu um pouco desinteressada.

– Mas ele pode ter mudado. Ele pode estar diferente porque é verdadeiro. Ele é tão educado, e bonito, e parece ser tão gentil, inteligente… – dizia Manoela com cara de sonhadora.

– Bem, não custa tentar, não é? – Respondeu Anne se levantando. – Eu vou aproveitar que ainda tenho um tempo e vou ler um pouco. Você pode aproveitar e procurar o Liam.

Anne saiu da mesa onde estava sentada com Manoela, e foi para o seu armário pegar seu livro. Quando passou pelo corredor, ouviu Adam chamando. Ele não falava muito com os funcionários fora das reuniões, mas mesmo assim ela o seguiu até a sala dele e ficou mais desconfiada quando ele trancou a porta assim que ela passou.

– Algum problema? – Ela perguntou antes de se sentar.

– Ainda não. Fique à vontade. – Ele respondeu indicando a cadeira. – Você é uma das funcionárias mais antigas daqui. Uma das mais dedicadas também. Gostaria só de saber algumas coisas.

Ela se ajeitou na cadeira para ouvi-lo melhor. Não falou nada, apenas esperou que ele continuasse.

– Bem, o que você sabe sobre o Boris? – Adam parecia levemente nervoso, por mais que tentasse disfarçar isso.

– Boris é seu sócio. – Ela começou. – E foi o sócio do seu tio. Havia uma relação de confiança entre eles. Sei que ele é organizado com suas coisas e costuma ser bem exigente com tudo. Nunca fui próxima dele no meu cargo, então não sei dizer muito.

– Ele tem alguma amizade mais próxima aqui na empresa?

Anne percebeu então o que estava acontecendo. Foi cautelosa, afinal, sabia muito bem o que poderia acontecer depois.

– Nunca o vi com amigos. Talvez Liam, mas ele é amigo de todo mundo. Acho que a Lara também, mas não tenho certeza.

– Tudo bem. – Respondeu Adam pensativo. Não conseguiria arrancar nada dela realmente. Talvez fosse melhor investir em outro. – Está liberada, obrigado pela conversa. – Ele disse levantando e destrancando a porta. – Se possível…

– Manter essa conversa entre nós. – Ela o interrompeu. – Não se preocupe. Com licença. – Ela disse abaixando a cabeça e saindo da sala depressa. Infelizmente, depois de passar pelo corredor, que dava acesso a sala de Adam, encontrou Liam saindo da sala de Boris.

– Você está aí a muito tempo? – Liam perguntou com frieza.

– Acabei de chegar. – Anne respondeu com a voz pesada.

– Então eu não te vi. – Ele disse a encarando.

– Eu também não. – Ela respondeu seguindo o seu caminho.

Liam estava levemente preocupado. O que começou com a tortuosa “hora de amor” de todos os dias, acabou com Boris paranoico com seus documentos. De certa forma estava aliviado pois, pelo menos não teve que terminar o serviço. O contraponto é que agora Boris poderia descontar a raiva nele, e ele não estava com muita disposição. Para esquecer os problemas, aproveitou que a maioria das pessoas ainda estava no horário de almoço e chamou Lara, uma funcionária nova, loira e muito bonita para uma reunião particular em sua sala, mas antes que pudesse aproveitar, precisou conter os hormônios femininos em fúria, pois Manoela o flagrou aos beijos com a loira. Por sorte, conseguiu conter as duas antes de um escândalo e no fim, não ficou com nenhuma das duas, se trancando em sua sala.

O que Adam poderia estar tramando, era só o que Liam pensava. Ele também tentava achar formas e brechas para se aproximar dele, mas com aquele garoto novo trabalhando diretamente com ele, era muito mais difícil. Depois de pensar um pouco mais, arquitetou uma estratégia boba que poderia resolver parte dos seus problemas.

– Boris, meu senhor. – Liam entrou falando com uma voz mansa.

– O que você quer Liam… – Boris respondeu cansado.

– Isaque… com certeza foi o Isaque que pegou os documentos.

– Como assim Liam? – Boris perguntou surpreso.

– É só pensar. Ele é novo, quer ganhar pontos com o patrão. Ele deve ter visto uma oportunidade de chamar atenção e aproveitou.

– Aquele filho da…

– Precisamos dar um jeito nele… – Liam disse pensativo.

– Liam, você acha que poderia dar um susto nele? – Boris perguntou cauteloso.

– Que tipo de susto senhor? – Liam perguntou curioso.

– Bem, eu tenho uma arma. Você poderia surpreendê-lo sozinho e…

– Não senhor! Isso é muito perigoso! – Respondeu Liam, parecendo surpreso com a proposta, mas no fundo era exatamente esse tipo de reação que ele esperava de Boris.

– Eu entendo. – Boris respondeu frustrado. – Então, eu mesmo farei.

– Não senhor, não faça isso… – Liam disse em tom preocupado, segurando suas mãos. – Prometa para mim que não fará uma besteira!

– Tudo bem Liam… – respondeu Boris disfarçando. – Você tem razão. É arriscado. Vou pensar em outra coisa. – Boris tranquilizou Liam. A verdade é que ele não iria desistir, mas não envolveria ele nisso.

No dia seguinte, os funcionários foram surpreendidos pela morte de um funcionário. Na verdade, Lara, a moça nova foi encontrada morta no fim da escada. Tudo indicava que ela havia sido empurrada e como a escada é longa, não suportou as fraturas que ganhou com a queda, falecendo na mesma hora. A responsável logo foi encontrada no estoque, escondida e completamente alterada. Manoela parecia estar sob efeito de drogas e só conseguia repetir que Liam seria dela de qualquer jeito. Quando ele chegou depois, horrorizado com a notícia foi prestar depoimento. Um pouco mais tarde, retornando a empresa, viu Anne saindo do carro de Isaque, entrando com ele na empresa. Na hora, não deu tanta atenção, mas quando entrou na sala de Boris, encarando toda a sua raiva, percebeu que talvez devesse considerar mais uma pessoa que deveria entrar na lista de “desaparecidos”.

juhliana_lopes 23-05-2016

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s