Espelho

Já passava da 00h quando Hugo pediu um tempo. Sabia que já havia bebido o seu limite e sabia o que poderia acontecer se ultrapassasse. Os outros continuaram o jogo, sempre zombando dele por ter pedido pra sair. Ele não se importou, sabia dos seus limites e queria manter o controle sobre si mesmo.  Além dele, Edgar também não participava do jogo, ele na verdade estava só a base de água já que teria que levar todos para casa ao amanhecer. Edgar permanecia calado e apenas ria de algumas besteiras que o grupo falava.

Quando o garçom trouxe mais uma rodada, Hugo sentiu sua visão embaçar e pensou até que fosse desmaiar. Foi ao banheiro lavar o rosto, pensou que talvez fosse a pressão. Assim que chegou o cheiro forte de urina misturada com cigarros irritou suas narinas. Enquanto juntava água com as mãos, ouviu alguns gemidos vindo de algum canto. Jogou a água no rosto e pigarreou, logo saiu um casal, que assim como ele, não fizeram questão de trocas de olhares.

Agora estava sozinho, olhando para o espelho, realmente houve um certo exagero nas bebidas, seus rosto começava a inchar. Jogou água no rosto mais uma vez e molhou os cabelos.

Você devia tomar mais uma dose… Só mais uma…

– E você devia me deixar em paz.

Você sabe que deve, e além de dever, é algo que você quer… Eu sei…

– E você sabe que devia calar a boca?

Não precisa resistir… Aquele cara, o Edgar, ele vai te levar pra casa depois…

– Já disse que não. Eu não to afim de passar vergonha hoje…

E com tantas mulheres bonitas você acha que vai passar vergonha? É mais fácil de prenderem por atentado ao pudor…

– Para, não vai acontecer de novo…

E na cadeia, os presos vão ficar com medo de você… Sempre tão…

– JÁ DISSE, CHEGA!

– Hugo, tá tudo bem cara?

– Ah, Edgar, to bem sim, acho que bebi demais, só isso…

– Ok. Vou lá ficar de olho naquele povo, o garçom tá cansando de ir na nossa mesa já…

– Coitado… Logo mais eu vou.

Ele é gay? Acho que ele curte você…

– Para, o Edgar já foi casado…

O que não impede dele ser gay

– E qual o seu interesse que ele seja gay ou não?

Isso é você que tem que me responder, afinal pra você qualquer um serve…

– Foi só uma vez e não fui eu, foi você!

Isso, continua colocando a culpa dos seus desejos insanos em mim…

– Eu só posso estar ficando louco!

andyEstá, louquinho para beber mais uma dose e me libertar, libertar seu verdadeiro eu!

– Eu não vou beber mais. Não hoje.

Olhe bem pra mim, e agora olhe pra você… Descolado, careta. Popular, Alone. Você gosta deste tipo de atenção, você gosta deste tipo de força…

– Me larga, aliás, larga a minha imagem!

Ouça bem o que vamos fazer hoje, você vai até aquela mesa, vai beber mais uma única dose, e vai dançar com uma mulher loira de vestido verde. Vai colar o seu corpo no dela, e sussurrar aquelas coisas no ouvido dela. Depois, pegue-a pelo braço, e a leve lá pra fora. Pegue-a com força, e quando terminar, a jogue no chão e entre. Pegue a morena de vestido vermelho, e faça a mesma coisa. Pegue quantas você puder, mas nunca jamais encoste um dedo naquela moça de vestido preto…

– Isso é insa… Por que não?

Você não vê? Ela é pior que você! Uma psicopata disfarçada entre as pessoas… Engana todo mundo, talvez até ela mesma, mas eu consigo ver tudo esqueceu! Agora vai lá, garanhão, vá quebrar alguns corações com um pouco da sua selvageria…

– Sai da minha mente, por favor…

Você pode terminar o dia pegando aquela sua amiga, aquela que está jogando, do jeito que ela está altinha, nem vai ligar… Veja é isso, você vai deitar ela na mesa no meio do jogo e…

– SAI DA MINHA CABEÇA!

Hugo deu um murro no espelho que o rachou quase por completo. Sua mão sangrava, e sua respiração estava ofegante.

– Hugo, está tudo bem? Com quem você estava gritando? – disse Edgar que ouviu o grito pois estava próximo do banheiro.

– Nada, era só… – disse ele olhando para o espelho. – Só estava pensando alto, falando comigo mesmo…

– Você está ficando viciado em bebidas? Quer parar, é isso?

– Estou viciado sim amigo, mas é com preocupações. Vamos voltar pro jogo…

Ao saírem, tudo estava normal, a festa continuava e a mesa estava cada vez mais bêbada.

– Hugo, sabe alguma coisa sobre aquela moça de preto?

– Moça de preto… Não, não sei mas parece ser interessante, por que você não tenta?

– Vou lá. E você juízo com a bebida, não vai cair nas graças do povo.

– Pode deixar… Eu sei como vai terminar a noite…

 

/juhliana_lopes 10-06-2013

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s